Tipos de Passe

Luz Espírita

ESTUDO SOBRE PASSES  - Tipos de Passe

 

TIPOS DE PASSE

              A ação magnética pode produzir-se por diversas maneiras:

  • Pelo Magnetismo Humano
  • Pelo Magnetismo Espiritual
  • Pela Ação Conjunta dos Dois

  

1º Pelo Magnetismo Humano 

            - Pelo próprio fluido do magnetizador, é o magnetismo propriamente dito, ou magnetismo humano cuja ação é subordinada à potência e sobretudo à qualidade do fluido.

               (“Todo magnetizador pode tornar-se médium curador, se souber fazer-se assistir por bons Espíritos. Neste caso os Espíritos lhe vem ajudar, derramando sobre ele seu próprio fluido, que pode decuplicar ou centuplicar a ação do fluido puramente humano.” Allan Kardec).  

2º  Pelo Magnetismo Espiritual

            - Pelo fluido dos Espíritos que atuam diretamente e sem intermediação sobre um encarnado, seja para curar ou acalmar um sofrimento, seja para provocar o sono sonambúlico espontâneo, seja para exercer sobre o indivíduo uma influência física ou moral qualquer. É o magnetismo espiritual, cuja qualidade está em razão das qualidades do Espírito. 

3º  Pela Ação Conjunta do Humano e Espiritual 

            - Pelo fluido que os Espíritos derramam sobre o magnetizador e ao qual serve de condutor. É o magnetismo misto, semi-espiritual ou, se assim o quisermos, humano-espiritual. O fluido espiritual combinado com o fluido humano, dá a este último as qualidades que lhe faltam. O auxílio dos Espíritos, em tais circunstâncias, é por vezes espontâneo, porém com mais freqüência é provocado pelo apelo do magnetizador, que pela prece funciona como uma invocação à assistência dos bons espíritos. Como menciona André Luiz no livro Evolução em Dois Mundos, o passe pode ser compreendido como sendo a emanação de força mental pela alavanca da vontade: “Convém lembrarmos que, em qualquer dessas modalidades, o passe procede sempre de Deus. Essa certeza deve contribuir para que o médium seja uma criatura humilde, cultivando sempre a idéia de que é um simples intermediário do Supremo Poder, não lhe sendo lícito, portanto, atribuir a si mesmo qualquer mérito no trabalho. Qualquer expressão de vaidade, além de constituir insensatez, significa começo de queda”. 

            Mais informações consultar o “O Livro dos Médiuns” de Allan Kardec : capítulo Médiuns Curadores, item 175.